habitos-saudaveis-sistema-vascular

Conheça hábitos saudáveis que protegem o sistema vascular

Você sabia que alguns hábitos podem proteger o seu sistema vascular e evitar o aparecimento de doenças sérias, como trombose venosa, varizes, doença vascular periférica e aneurisma? Veja algumas recomendações importantes!

Alimentação balanceada

É muito importante ter uma alimentação baseada em grãos integrais, frutas, verduras e legumes. Não exagerar no sal e no açúcar também é importante para prevenir doenças vasculares. O excesso de sódio desencadeia a hipertensão, uma doença que agride os vasos e artérias.

Controlar a alimentação também previne e controla o diabetes, outra doença que prejudica a estrutura dos vasos sanguíneos. A alimentação com pouca gordura saturada é essencial para controlar o nível de colesterol, evitando que placas de gordura causem o entupimento de veias e artérias, levando a problemas graves de saúde.

Livre-se do tabagismo

O tabagismo é um dos maiores vilões da saúde humana. O cigarro ataca a parede dos vasos sanguíneos, acelera os batimentos cardíacos, eleva o nível da pressão arterial e causa vasoconstrição, diminuindo o calibre das artérias. O tabagismo é uma das principais causas de derrames e ataques cardíacos. Parar de fumar é essencial para proteger o seu sistema circulatório.

Praticar atividade física

Fazer musculação e atividades aeróbicas diminui e controla consideravelmente todos os fatores de risco de doenças vasculares, como hipertensão arterial, estresse, colesterol e diabetes. Fazer exercício físico regularmente também ajuda a fortalecer a saúde das veias e artérias, que ficam mais resistentes. Além disso, mantém o peso corporal dentro do desejável.

Beber bastante água

A água ajuda a manter o sangue menos espesso, sem coagular, mais leve e menos denso, mais fácil de ser bombeado, mantendo seu fluxo correto dentro dos vasos e artérias. Especialmente no inverno, é muito importante ingerir bastante líquido para manter a densidade sanguínea ideal.

Para receber outras orientações, agende uma consulta com o médico especialista!

exames-vasculares-de-diagnostico

Conheça os principais exames vasculares de diagnóstico

Os exames vasculares de diagnóstico podem ser realizados após uma consulta com o médico vascular, para mapeamento vascular, para identificar as causas de algum problema de saúde, investigar alguma queixa de dor do paciente ou revelar o potencial de acometimento vascular por histórico familiar e predisposição genética.

Os exames de diagnósticos são realizados para orientar a melhor proposta terapêutica para o paciente. Assim, o cirurgião vascular pode definir o melhor tratamento ou a técnica cirúrgica para a cura de doenças que acometem os vasos sanguíneos.

Exames de imagem

São excelentes exames vasculares de diagnóstico, pois não são invasivos e permitem avaliar a estrutura das artérias e a qualidade dos vasos, identificando como está o fluxo de sangue em seu interior. Entre os procedimentos de imagem utilizados no diagnóstico vascular, estão os seguintes:

  • Eco-doppler colorido;
  • Angiotomografia arterial;
  • Pletismografia;
  • Mapeamento dúplex;
  • Ultrassom de ondas contínuas.

O uso de contraste é necessário apenas para fazer a angiotomografia arterial. A substância é necessária para melhor visualização das condições dos vasos sanguíneos com o aparelho de tomografia.

Qual a finalidade dos exames vasculares de diagnóstico?

O médico avalia se as veias e artérias estão normais, em boas condições, e se o fluxo sanguíneo está como esperado. Também são identificadas outras doenças por meio destes exames, como:

  • Aneurismas – vasos dilatados;
  • Tromboses – vasos obstruídos;
  • Estenoses – vasos estreitos.

O médico também verifica se o sangue está na velocidade e no fluxo corretos, acomodado de maneira adequada no interior dos vasos. Os exames vasculares de diagnóstico também são utilizados para o tratamento de varizes e inchaços nos membros, além de investigação de causas de dores nas pernas.

Estes exames de diagnóstico precisam ser solicitados e interpretados por um especialista, como o cirurgião vascular. Em uma consulta, o médico pode pedir os exames de acordo com as indicações clínicas de cada paciente!

varizes-na-gestacao-causas-prevencao

Varizes na gestação: causas e prevenção

A gravidez representa uma mudança no estilo de vida da mulher. Algumas futuras mamães convivem com um imenso desconforto causado pelas varizes na gestação, um problema que pode abalar a autoestima e afastar as grávidas das praias e piscinas, além de limitar o uso de shorts e vestidos curtos.

Os vasinhos e as veias roxas, saltadas e inchadas prejudicam o visual e podem ser extremamente dolorosos. Estima-se que uma a cada três mulheres apresenta varizes na gestação.

Quais são as causas das varizes na gestação?

A produção de sangue aumenta nas mulheres grávidas, para sustentar tanto a mamãe quanto o bebê. Por isso, o sistema circulatório da mulher recebe uma sobrecarga muito grande, com aumento da pressão dos vasos pélvicos e elevação dos índices de progesterona, responsável por relaxar os vasos sanguíneos.

O resultado é um quadro típico para a formação de varizes na gestação, principalmente entre o fim do segundo e o começo do terceiro trimestre de gravidez. Mesmo mulheres que nunca tiveram problemas de circulação podem desenvolver varizes na gestação.

Geralmente, os quadros de varizes pioram na segunda ou terceira gravidez da mulher. Além de varizes nas pernas, as mulheres podem apresentar alteração nos vasos de sangue da vulva e no reto, causando hemorroida.

A normalidade retorna após o nascimento do bebê

A maioria das mulheres com varizes na gestação apresenta melhora depois do parto, que ocorre aproximadamente 3 meses após o nascimento, com redução da dilatação das veias e do tom azulado das varizes. Em grande parte dos casos, o problema desaparece por completo.

Algumas mulheres precisam fazer o tratamento para varizes depois de darem à luz, pois continuam com as veias sobressalentes, doloridas e azuladas. Isso acontece, especialmente, com as mamães que ganharam muito peso durante a gravidez ou que possuem histórico de varizes na família. Nestes casos, se as varizes não sumirem após o parto, é preciso consultar um médico vascular.

Se os vasos avermelhados e arroxeados forem de calibres espessos, talvez seja preciso fazer um tratamento para prevenir varizes profundas e outras complicações, como o surgimento de trombose.

Para a prevenção, as grávidas podem tomar alguns cuidados para evitar as varizes na gestação, entre os quais estão os seguintes:

  • Fazer o autoexame para identificar veias azuladas e procurar um médico vascular caso as encontre;
  • Fazer exercícios leves que estimulem a circulação;
  • Andar descalça para melhorar a circulação localizada;
  • Não ficar muito tempo de pé, na mesma posição;
  • Elevar os pés com o apoio de travesseiro durante a noite;
  • Utilizar meias elásticas de compressão;
  • Manter uma dieta saudável e balanceada;
  • Evitar ganhar muito peso durante a gravidez;
  • Beber cerca de 3 litros de água por dia.
cirurgia-varizes-melhor-opcao-tratamento

Quando a cirurgia para varizes é considerada a melhor opção de tratamento?

cirurgia para varizes é recomendada apenas quando outros tratamentos feitos com espuma, endolaser, escleroterapia, radiofrequência, entre outros procedimentos, não apresentam os resultados esperados.

As varizes podem provocar, tanto em homens quanto em mulheres, uma queda na autoestima por causa do prejuízo estético, principalmente ao vestir roupas que deixam as pernas aparentes, como saias e bermudas.

Além de afetar a vida social, as veias roxas, bastante saltadas e com o calibre mais grosso, podem causar bastante dor e desconforto nas pernas, com inchaço dos membros inferiores. Em casos extremos e avançados, é necessário recorrer à cirurgia.

Vale lembrar que, em alguns pacientes, as varizes evoluem para eczemas. Outras pessoas também apresentam coágulos gelatinosos, que significam complicações da doença. Estes problemas costumam ser resolvidos com tratamento cirúrgico.

Cirurgia convencional e endolaser

A cirurgia convencional ou tradicional é realizada há muitos anos, para a remoção de varizes profundas, sendo acessível para praticamente todos os pacientes que precisam de operação para varizes. A técnica é feita com agulhas cirúrgicas e pequenas incisões para a remoção das veias lesionadas. Dependendo da gravidade, o cirurgião pode remover toda a safena.

O endolaser é a aplicação de laser na área interna nas varizes, tratando-se de um procedimento pouco invasivo, muito seguro e com pouca dor. Contudo, para veias com calibre muito grosso, o endolaser pode não funcionar, sendo necessária a realização da cirurgia convencional.

Os casos que mais evoluem para cirurgia são varizes que causam dores fortes, coceira e inchaço, com veias de calibre grosso.

Quais são os benefícios da cirurgia para varizes?

A cirurgia para varizes é a única maneira de acabar com a doença em casos avançados. Dificilmente pacientes apresentam complicações no pós-operatório. Todas as veias dilatadas podem ser removidas pelo cirurgião.

As cicatrizes da cirurgia são muito pequenas e não geram danos estéticos, ajudando o paciente a recuperar sua autoestima. Em poucos casos os pacientes que operam as varizes apresentam reincidência.

Após a realização da cirurgia convencional para varizes, o paciente pode sentir dificuldade para andar por alguns dias, além de dores no pós-operatório e hematomas temporários. A área da cirurgia não deve ficar exposta ao sol no período de recuperação.

causas-inchacos-nas-pernas

Conheça as principais causas de inchaços nas pernas

Dores nas pernas, quem não sente de vez em quando? Depois de um dia de trabalho, é muito comum as pessoas se queixarem de dor e inchaço nas pernas. Porém, existe o incômodo comum e esperado, que desaparece após uma boa noite de sono, e também existe o problema crônico, causado pela má circulação, que deve ser investigado e tratado por um médico vascular.

Veja os 7 principais motivos para dor e inchaço nas pernas

1. Ficar na mesma posição por muito tempo

Ficar horas de pé ou sentado pode causar dor e inchaço nas pernas. O sangue fica acumulado nos membros inferiores, deixando as pernas doloridas. Embora aconteça em pessoas de todas as idades, é mais comum em idosos e gestantes.

2. Dias mais quentes

Quando está fazendo calor, a dor e o inchaço nas pernas podem aumentar. Durante o verão, com temperaturas elevadas, as artérias ficam com mais sangue em seu interior. Além disso, os rins eliminam menos líquidos ingeridos durante o dia. O resultado disso é o aumento dos inchaços, que podem ser tratados com o médico vascular.

3. Flebite

A inflamação das veias é chamada de flebite, sendo uma das principais causas de dor e inchaço nas pernas. As veias ficam duras, inflamadas e doloridas, com sangue coagulado. Outros sintomas são febre, pele avermelhada e sensação de calor na região da dor.

4. Doenças cardíacas e dificuldade de circulação

A dor e o inchaço nas pernas podem aparecer em consequência de doença no coração, normalmente por causa de um entupimento ou estreitamento de artéria, que prejudica a circulação no corpo inteiro. O estreitamento e a alteração no calibre de artérias que ficam localizadas nas pernas também podem causar dor.

5. Doenças do fígado

Se o sangue estiver com excesso de albumina, pode ocorrer o inchaço nas pernas. Quando o paciente se queixa de dor e inchaço, o médico faz a investigação do caso e verifica outros sintomas, como, por exemplo, o amarelado nos olhos.

6. Trombose

Ador e o inchaço nas pernas podem ser causados por trombose, em consequência do uso de anticoncepcionais, herança genética ou sedentarismo. Além do inchaço, as pernas podem ficar arroxeadas e a pessoa pode ter dificuldade para andar.

7. Varizes

As varizes também causam dor e inchaço nas pernas, por causa das dilatações ocorridas nas veias superficiais. Também é comum sentir pressão no local e fadiga.

Se você está com dor e inchaço nas pernas, é essencial marcar uma consulta com o médico vascular!

© Copyright 2021. Todos os direitos reservados.

×